or_bar.gif (1182 bytes)

ATUALIDADES

or_bar.gif (1182 bytes)

 

OPERAÇÃO REVELA AMÉRICA "CIVILIZADA"

Por Yamin Zakaria

O exemplo das fotos desprezíveis tiradas na infamante prisão Abu Gharib, no Iraque, mostra claramente que os prisioneiros iraquianos foram torturados, humilhados e submetidos a todo o tipo de perversão sexual que está disseminadas na sociedade americana. Este fato claramente irritou o mundo islâmico mas não foi surpresa para ninguém. A Anistia Internacional e outros grupos de direitos humanos também emitiram esta opinião e receberam várias denúncias semelhantes no passado. Os primos britânicos também envolveram-se em práticas dessa natureza, o que já era esperado, uma vez que ambos os povos partilham da mesma herança e valores.

O presidente George Bush respondeu, declarando que: "O tratamento por parte daqueles soldados não reflete a natureza do povo americano." Vejamos, agora, a América é o maior produtor e consumidor de Pornografia. A gama de perversão sexual, inclusive a prática de escravidão sexual está disseminada e é permitida pelo conceito de "liberdade".  A escravidão envolve tortura, humilhação e outros tipos de perversão bizarra. O homossexualismo tornou-se norma e pode até virar uma obrigação no futuro!

De um modo geral, um soldado americano médio é criado em um ambiente dessa natureza, submetido a toda sorte de pornografia, abuso sexual e violência gratuita bem cedo na adolescência. As estatísticas revelam que 33% nasceram fora do casamento e muitos deles desconhecem a identidade do pai, e por isso, frequentemente são submetidos a abusos sexuais e abandonos. É por isto que um indivíduo apontou para um americano quando ele chamou Osama bin Laden de "bastardo", querendo dizer que Osama e todos os membros da al-Qaeda sabem muito bem quem são seus  pais e, assim, o adjetivo seria mais adequado para aqueles cidadãos americanos! Aquelas fotos e mais os inúmeros relatórios independentes apenas confirmam a identidade americana de seus soldados. Acrescente-se a isto uma visão racista em relação aos não europeus e muçulmanos/árabes em particular, satanizados por uma poderosa mídia (que sobrepuja o solitário canal de notícias Al-Jazira) que constantemente promove a cultura do ódio e da intolerância.

George Bush prosseguiu, dizendo que: "Esta não é a forma como fazemos as coisas na América". Sim, a maioria concordará que, de um modo geral, na América tais práticas são mantidas ocultas, principalmente por aqueles que ocupam posições influentes como as de governo. É por isso que há pessoas como Bill Clinton, que estava envolvido em suas atividades doentias com a secretária Monica Lewinsky, uma outra mulher livre e liberada. Daí que, a vergonha não é cometer o ato em si, e sim expô-lo ao público. Isto se dá só porque a liderança americana tem que fingir que os Estados Unidos são a principal nação de moral cristã muito embora suas massas não observem o mesmo código moral.  Eles desprezam a poligamia islâmica, no entanto, dificilmente encontraremos indivíduos honestamente monogâmicos neste mar de perversão sexual.

Portanto, George Bush está constrangido porque seus soldados cristãos foram apanhados e expostos pela mídia de massa. Se isto tivesse sido levado ao ar originalmente pela al-Jazira, de certo ela teria sido acusada de incitamento à "perversão sexual"! Se o presidente Bush tivesse tomado conhecimento dos fatos às escondidas em vez de por meio da  mídia, isto poderia ter causado algum nível de desconforto (ou conforto) mas certamente que ele não teria ficado constrangido. Na verdade, tais atividades são muito comuns na sociedade americana e coisas muito piores estão acontecendo diariamente. Jerry Springer confirma isto quando exibe aqueles cidadãos americanos degenerados, pervertidos e imbecilizados em seus shows de TV diários.

Estes são atos de soldados pervertidos, por isso é pouco provável que tais incidências sejam exceção e sim a regra geral. Portanto, apenas imaginemos o que não foi relatado e há quanto tempo tais atividades vêm acontecendo! As fotografias apenas revelam a ponta do iceberg. Os vários relatos indicam que isto vem ocorrendo desde a queda de Bagdá, sob o domínio da operação "liberdade" iraquiana, mas liberdade para quem?

Além da perversão sexual, as fotos também revelam a tortura dos prisioneiros. A violência gratuita também está disseminada nos Estados Unidos e enraizada em sua história. A nação nasceu no sangue de 70 milhões de nativos americanos. Igualmente, os primos britânicos fizeram o mesmo com os irlandeses e os australianos com a população aborígene. Esta mesma violência instintiva do Ocidente Selvagem foi exibido em Fallujah, onde o exército dos Estados Unidos massacrou centenas de iraquianos.

Só recentemente, a CNN mostrou um clip de um fuzileiro americano matando um iraquiano ferido, e, mais tarde, ele deu uma entrevista e falou com orgulho de sua "façanha". Ao que tudo indica, parece que não se aplicam aos americanos qualquer responsabilização, a Convenção de Genebra e as várias resoluções da ONU! Alguém pode se esquecer de Donald Rumsfeld  referindo-se à Convenção de Genebra, no início do conflito, quando os prisioneiros de guerra americanos foram mostrados nas TVs, enquanto os Estados Unidos ignoravam todas as normas na Baía de Guantánamo, mesmo que tenha sido suave se comparado com o que a CBS exibiu recentemente? A administração americana tornou-se imune ao conceito de hipocrisia.

Em sua defesa, os soldados transgressores estão alegando ignorância da Convenção de Genebra e falta de treinamento. Isto só prova os pontos acima, que, por sua natureza, essas pessoas são facínoras, criminosos e pervertidos. O senso comum diz que maltratar prisioneiros é errado e isto é entendido por todas as sociedades e civilizações, com exceção da América "civilizada". Então, os Estados Unidos têm o descaramento de encobrir sua conduta com a costumeira conversa sobre democracia, liberdade e direitos humanos.

Um outro ponto importante que está dominando é a questão dos mercenários e empreiteiros civis utilizados no Iraque. Antes de mais nada, empreiteiros civis são como abutres comendo as carcaças dos mortos do Iraque. Existem muitos desempregados iraquianos, mas a ganância dos capitalistas americanos os leva a importar trabalho mais barato dos países mais pobres e pagam a eles com o petróleo roubado do Iraque.

Quanto aos mercenários, eles estão sendo usados pelas forças britânicas e americanas para cometerem atos contra os iraquianos que não são permitidos nem mesmo segundo seus próprios códigos "moral" e "ético".   Existem relatos de  mercenários estuprando nas prisões de Abu Ghuraib mas, adivinhem, o exército dos Estados Unidos não tem jurisdição sobre eles e, assim, não pode sair no encalço deles. Um outro buraco negro legal! Esta é a vantagem de se ter democracia e liberdade, você simplesmente define as normas e segue em frente.

Além da liderança dos Estados Unidos, este incidente também constrangeu, mas não irritou, muitos dos muçulmanos/árabes entusiastas do secularismo. Eles suspiram pela versão americana de "liberdade" e "democracia" e dão palestras sobre seus méritos, sem sequer olhar para os  resultados produzidos nessas sociedades. O que aconteceu no Iraque são apenas os frutos do capitalismo, da democracia e da liberdade. Tudo o que precisam fazer é ligar seus aparelhos de TV e assistir aos canais americanos. Perversão sexual, promiscuidade, violência gratuita, assassinos em série e canibais, estão todos prosperando nas sociedades livres.

Portanto, onde estão, agora, aqueles "islâmicos" moderados? Apressaram-se em condenar tais atos com o mesmo nível de entusiasmo com que condenam seus companheiros muçulmanos que estão resistindo ativamente aos criminosos anglo-israelense-americanos? Os moderados estão distribuindo mensagens a não muçulmanos e às igrejas pedindo-lhes que informem aos muçulmanos se eles suspeitam de tais tipos de atividades criminosas em Abu Gharib, Fallujah, Bagdá, Londres (Bell Marsh) e Estados Unidos (Baía de Guantanamo)? Onde estão o Papa e o Bispo da Igreja Anglicana, Dr.Carey? Há poucas semanas atrás, eles estavam falando aos muçulmanos sobre os méritos da civilização ocidental. O comportamento dos soldados da coalizão (EUA e Reino Unido) é pior do que o dos bárbaros cruzados, como Ricardo, Coração de Leão. Da mesma forma, o tratamento dispensado pelo Talebã aos prisioneiros e até mesmo pelo regime secular de Saddam Hussein lembrou o tratamento dado por Salahuddin Ayubi aos prisioneiros de guerra.

Os americanos e o regime de Saddam Hussein usaram a mesma prisão de Abu Gharib e técnicas semelhantes para conduzir a tortura, confirmando seus valores seculares comuns e suas relações de amizade iniciais. O que, agora, está sendo reiterado mais uma vez. Fundamentalistas militantes seculares são os mesmos, eles fingem possuir "moral" sublime mas, na realidade, não são só hipócritas, mas violam os mesmos códigos morais de uma forma ainda pior. Eles constantemente questionam a poligamia, véus e pena capital mas não têm problemas em aceitar e sancionar a perversão sexual, a nudez grosseira e violência desnecessária em nome da liberdade e da democracia.

Todos os hipócritas mentirosos de Downing Street ou da Casa Branca estão se apressando em "punir" aqueles transgressores mas, por certo que, se a justiça tiver de ser feita, então que deixem os iraquianos decidirem sobre a questão, uma vez que o crime foi cometido em solo iraquiano contra civis iraquianos! Além disso, a   "punição" levará tempo para desaparecer do olhar público no mundo da burocracia.  Mais importante de tudo, tais atos não são isolados ou esporádicos, eles foram praticados com o pleno conhecimento dos oficiais encarregados. Portanto, punir alguns que foram apanhados é um meio de absolver o resto dos criminosos que   são toda a força de coalizão juntamente com seus abutres, como os mercenários.

Um exame dos acontecimentos desde 11 de setembro expôs claramente o véu transparente e hipócrita da democracia e liberdade. Eles falam de democracia mas não desejam  eleições livres no Iraque, enquanto em casa, seu presidente foi "eleito" fraudulentamente. Em seguida, eles se gabam dos direitos humanos mas, contudo, não se envergonham de manter presas arbitrariamente pessoas inocentes, como nas gaiolas de Guantanamo e Belmarsh. Depois vem a questão do direito da mulher de  escolher, o que significa que ela pode se comportar como um animal selvagem, fornicando em público ou em perversão sexual, qualquer coisa, desde que   não se cubra de forma decente. Agora, tiram a camiseta diante do mundo a respeito da questão do tratamento dos prisioneiros de guerra. O imperador está nu e o mundo inteiro sabe disto!

Este episódio é uma outra vitória importante para os muçulmanos depois de Fallujah. A vergonha não é dos muçulmanos e sim das hordas bárbaras neo-mongóis que não se envergonham de seus atos. Não podem sentir vergonha uma vez que não possuem dignidade nem códigos morais. Como pode o diabo condenar o pecado? Desde 11 de setembro, cada palavra dos mujahidin foi confirmada, assim como o que já sabíamos a respeito deste povo.

Postado no kashmir-global-network@yahoogroups.com, em 5.05.004


1