or_bar.gif (1182 bytes)

ATUALIDADES

or_bar.gif (1182 bytes)

 

MÉDICO CANADENSE DESCREVE A ASSISTÊNCIA MÉDICA NO AFEGANISTÃO

 

Em resposta aos rumores que circulam na Internet de que o Movimento Islâmico Taleban oprime as mulheres no Afeganistão:

Jamais respondo aos remetentes de mensagens retransmitidas como esta, mas me sinto profissionalmente obrigado a responder a esta, em particular. A mensagem não apresenta qualquer prova que fundamente as alegações ali contidas. Não há informações das fontes citadas e, apesar disso, mais de 350 pessoas assinaram este documento.

Sou um médico de família canadense. Recentemente retornei de uma missão para procurar fatos médicos em hospitais e cidades de Jalalabad e Cabul, no Afeganistão, e obter uma perspectiva inédita sobre os problemas relacionados à assistência social e de saúde naquelas cidades. Fiquei hospedado em uma ONG canadense, baseada em Cabul, que   me ajudou em minha tarefa. Eu, pessoalmente, testemunhei a situação nos hospitais e cidades e dirigi duas clínicas em Cabul.

A seguir, um resumo de minhas observações:

1) Existe um hospital inteiro, em Cabul,  dedicado ao cuidado das mulheres. Ele é chamado de  Women Gyne and Maternity Hospital of Kabul. Um outro hospital, o Indira Gandhi Children que também cuida das mulheres. Como todos os outros hospitais no Afeganistão, ele sofre de escassez de suprimentos e remédios. Eu vi médicos em setores de emergência usando suas mãos sem proteção, para suturar   feridos. Cirurgiões do hospital infantil vêm 2-3 casos por dia de crianças com obstruções intestinais provocadas por graves verminoses intestinais, o que seria absolutamente prevenido através de uma higiene melhorada. O cuidado com a saúde é igualmente sombrio para todos os afegãos, homens e mulheres.

2) Existe uma elevada incidência de doenças que poderiam ser prevenidas com vacina (eu vi o meu primeiro caso de tétano em Jalalabad).

3) Os médicos (tanto homens como mulheres) estão deixando o Afeganistão em grande quantidade porque o salário mensal de um médico é de apenas 6000 rúpias afegãs (cerca de CDN$15). Enfermeiras recebem a metade disto por mês, enquanto que os atendentes apenas 2.000 rúpias.

4) A maior parte dos afegãos não tem condição de comprar os remédios receitados pelos médicos para eles e suas crianças. Muitos vão para as ruas, segurando suas receitas e pedem às pessoas que passam que lhe dêem dinheiro para a compra de medicamentos.

5) O hospital infantil com 400 leitos, tem um sistema de aquecimento a diesel, que está funcionando, mas no inverno fica inviável porque o combustível custa 15000 rúpias afegãs (cerca de CDN$30, por hora) para funcionar. As temperaturas chegam a 15º Celsius, ou mais frio ainda.

6. Existem escolas na província de  Laghman que ensinam às mulheres atividades como costura e tecelagem. Outras escolas administradas pelas ONGs ocidentais foram fechadas pelo Taleban porque elas se recusaram a separar os homens das mulheres, ou a funcionar sob as normas do Islam. Existem muitas escolas para meninas funcionando no Afeganistão.

7. Com relação à vida cotidiana, eu vi inúmeras mulheres andando livremente nos mercados, sozinhas ou com seus filhos, desacompanhadas de um parente masculino. Muitas, inclusive, calçavam sapatos de salto alto. Nenhuma foi apedrejada ou surrada.

8. Eu vi muitas mulheres que não usavam a burca e sim lenços coloridos que também cobriam suas bocas e a parte de cima de seus corpos. Não foram apedrejadas ou surradas.

9. Não vi janelas que estivessem pintadas para impedir as mulheres de serem vistas. As casas afegãs não são do mesmo estilo das casas ocidentais. Quase todos os lares afegãos são circundados por uma cerca viva alta, o que dá privacidade para as casas e as famílias. Os afegãos são muito discretos e não gostam que os outros fiquem olhando para eles, principalmente as mulheres.

10. A pobreza no Afeganistão é disseminada e vi muitos homens, mulheres e crianças sofrendo. As famílias estão vendendo seus pertences domésticos (móveis, roupas, utensílios, panelas) para ajudá-las a comprar comida. Quando não têm mais nada para vender, são forçados a pedir nas ruas.

11. Há muitos pedintes nas ruas do Afeganistão, mas devemos nos lembrar que a mendicância não é um problema restrito ao Afeganistão.

12) Raptos, sequestros, prostituição, roubos e assassinatos cometidos por bandidos eram comuns no período que se seguiu à retirada das tropas russas. Quando o Taleban assumiu o controle, todos os bordéis de Cabul foram fechados e os exploradores procuraram refúgio nos países vizinhos. Hoje, os afegãos podem andar livremente, até durante à noite.

13. O Taleban instituiu a shari'ah islâmica no Afeganistão. Fecharam cinemas, proibiram fotografias de pessoas vivas, baniram o jogo, a prostituição, etc. "Impuseram" a moralidade ao seu povo.

14. A ONU confirma as condições de uma terrível seca para os próximos dois anos. Os rios que alimentam as turbinas para gerarem eletricidade estão praticamente secos. Como resultado, a eletricidade só está disponível de 5 a 6 horas por dia.

15. A infra-estrutura afegã foi quase que completamente destruída pela guerra. Quase não há empregos. Somente agora as principais estradas ligando as principais cidades estão sendo consertadas.

O povo afegão perdeu 1.8 milhões  vidas para expulsar os russos e conquistar a liberdade para sua terra e religião. O sofrimento é realmente grande. O Taleban pode não ser o governo mais perfeito, mas não podemos ignorar as necessidades do povo afegão, principalmente das viúvas e órfãos. Mensagens como a abaixo não só ajudam a propagar falsas informações como, também ferem pessoas inocentes que estão tentando ajudar (por exemplo, das sanções e restrições da ONU).

Desafio quem quer que seja que assina esta lista a ir ao Afeganistão da mesma forma que eu fiz. Veja por si, se as afirmações constantes da mensagem abaixo são verdadeiras ou não. Veja a magnitude da pobreza e o sofrimento que é, em parte, causado por mensagens como a que está abaixo, que está sendo divulgada pela Internet. Tente abrir sua mente para o "grande quadro" e somente após verificar os duros fatos e evidências, decidir se deve apoiar esta petição ou não.

Vamos tentar usar nossas energias para ajudar aqueles que estão sofrendo, na maior parte viúvas e órfãos. Trabalho com a Health and Education Projects International, com sede em Otawa, Canada, que administra uma série de projetos para mulheres e crianças. Nas próximas semanas, espero estar implantando os seguintes projetos:

a) Fundo de suplementação de recursos para médicos e enfermeiros - para ajudar a manter a equipe de pessoal da saúde existente (acredite se quiser, o principal objetivo é pagar $10, por mês, por médico, que pode fazer uma grande diferença).

b) Envios regulares de primeiros socorros e de suprimentos e equipamentos a cada 6 meses, por intermédio de um acordo a ser negociado com o exército canadense e que será enviado para o Jalabad Public Hospital e o Indira Gandhi Children's Hospital em Cabul.

c) Envios regulares de doações de sapatos, agasalhos, cobertores e sacos de dormir (em Cabul é muito frio no inverno e o aquecimento é extremamente caro).

d) Um fundo para ajudar os hospitais a comprarem estoques adequados de limpeza e contratarem uma equipe de limpeza.

e) Um fundo para comprar leite de vaca para ajudar a alimentar os necessitados.

Quem quiser entrar em contato comigo para perguntas ou pedidos de documentação e/ou vídeos, será bem vindo. E, por favor, copie e passe adiante esta mensagem para o maior número de pessoas possível.

Raza M. Khan, BSc, MD, CCFP.
Médico de família.

http://www.azzam.com/html/talibancanadian.htm

back1.gif (279 bytes)


home.gif (396 bytes)


1