or_bar.gif (1182 bytes)

ATUALIDADES

or_bar.gif (1182 bytes)

POR QUE SHARON NÃO É PRESO COMO CRIMINOSO DE GUERRA?


Chicago, 30/08/2001 (IAP News) - Enquanto hoje o governo israelense pressiona a Autoridade Palestina a retomar as prisões em massa de ativistas palestinos que resistem à ocupação ilegal de sua terra ancestral e lutam por sua sobrevivência, fazemos uma pergunta. Por que Ariel Sharon, chefe desse governo e um conhecido  assassino em série, não é preso?

Como pode Israel falar da prisão de quem quer que seja quando, de acordo com inúmeros peritos legais, seu líder deveria ser preso imediatamente por causa dos crimes de guerra cometidos?

Conforme o recente documentário exibido no Panorama da BBC claramente mostrou, e foi declarado em várias ocasiões, Sharon deveria ser levado à justiça por sua responsabilidade no massacre de centenas de palestinos civis, em 1982, nos campos de refugiados de Sabra e Chatila.

Durante uma entrevista no programa Panorama, Richard Falk, Professor de Legislação Internacional da Universidade de Princeton, disse: "Não tenho dúvida de que ele é culpado por causa do conhecimento que tinha, ou que deveria ter. A responsabilidade específica de Sharon decorre do fato de que ele era o ministro da Defesa, em estreita relação com os comandantes de campo, que estavam presentes em Beirute.

Quando mais tarde, durante a exibição do programa, perguntara a ele se tinha alguma dúvida quanto à responsabilidade de Ariel Sharon pelo massacre, o Dr. Falk, que também é vice-presidente de uma comissão internacional que investigou a invasão do Líbano por Israel, respondeu "Nenhuma".

No mesmo programa, o juiz Richard Goldstone, ex-promotor chefe dos tribunais instalados pela ONU para os crimes cometidos na antiga Iugoslávia e em Ruanda, declarou: "Se a pessoa que entregou o comando sabe, ou deveria saber sobre os fatos disponíveis, esta é uma situação onde civis inocentes estão sendo feridos ou mortos, então aquela pessoa é tão responsável, na verdade em meu livro, mais responsável até do que as pessoas que cumpriram a ordem."

O fato é que, na ausência de qualquer vontade política para fazer Israel respeitar a legislação internacional no conflito israelo-palestino, os palestinos têm o direito legal, do ponto de vista da lei internacional, de resister à ocupação de sua pátria.

Em um documento intitulado "Além de Oslo: O Novo Levante", o dr. Falk escreveu:

"Discuti antes, com Burns Weston, que os fracassos de Israel em respeitar a legislação internacional, como o poder ocupante beligerante, equivaliam a uma negação fundamental do direito de autodeterminação, e mais genericamente do respeito à estrutura da ocupação beligerante - dando surgimento ao direito de resistência palestina. Em essência, nós argumentamos que a primeira Intifada foi uma expressão válida deste direito de resistência - não um comportamento criminoso ou ilegal por parte dos palestinos, embora os atos específicos dos palestinos estivessem sujeitos aos padrões aplicáveis da lei humanitária internacional. Nós vimos atos violentos, como atirar pedras, como simbólicos, quando comparado com o poder de fogo usado pelas Forças de Defesa de Israel."

Encaremos isto, aqueles que acham que a paz no Oriente Médio pode ser alcançada enquanto este criminoso de guerra, Sharon, ocupar um cargo político, estão iludidos. Ariel Sharon é um animal militar impenitente que acredita mais na destruição de oliveiras e fazendas e menos na construção de uma ponte para a paz com os palestinos.

Enquanto ele, e aqueles que apóiam a permanência deste criminoso em seu cargo, continuar este distúrbio sangrento sem sentido contra a já dizimada população civil palestina, por favor, não nos falem de prender palestinos porque isto nada mais é do que uma rematada hipocrisia.

Chicago, 30/08/2001 (IAP News)

http://www.iap.org/news/arrestsharon.htm

back1.gif (279 bytes)

 

1